SOBRE O PASTOR 1 – SÓ O MINISTRO PODE JULGAR

Só o ministro pode administrar a justiça e o juizo, porque foi a ele que Deus confiou a sua igreja, da qual ele dará contas; e ordenou a todos que obedecessem e se sujeitassem ao pastor, por isso quem rejeita o pastor rejeita a Cristo que o enviou. Porém, governa a sua própria igreja e não de outrem

Todas o juízo descrito nas cartas são para a igreja a quem elas são enviadas, para quem já tem conhecimento, e não para o mundo em geral, para que os lideres destas exerçam o seu sacerdócio em amor, cartas estas que foram escritas e enviadas pelos fundadores destas igrejas e não de obra alheia.

Tu me perguntarás: Em que casos posso fazer juízo?
----------------------------------------------------------
Primeiro, julga-te a ti e ao que te rodeia como juízo pessoal e interior provando os frutos do espírito para ti mesmo para que tenhas cautela com os falsos profetas e não seres enganado.

Segundo, quando algum irmão pecar contra ti, aí chama-o á parte e reaprende-o; se não te ouvir arranja testemunhas; se ainda não te ouvir apresenta-o á igreja dando noticia ao pastor; e se mesmo assim não aceitar, então evita-o e considera-o como um incrédulo.

Ora, se teu irmão pecar contra ti, vai, e repreende-o entre ti e ele só; se te ouvir, ganhaste a teu irmão; Mas, se não te ouvir, leva ainda contigo um ou dois, para que pela boca de duas ou três testemunhas toda a palavra seja confirmada. E, se não as escutar, dize-o à igreja; e, se também não escutar a igreja, considera-o como um gentio e publicano.
Mateus 18:15-17

Terceiro, quando falas com alguém em que depois de lhe anunciares o evangelho tal pessoa resiste e ainda blasfema de Cristo, aí depois de o avisares duas ou três vezes, então anuncia-lhe o juízo, mas que tudo seja feito na cara e não publicamente.

Ao homem hereje, depois de uma e outra admoestação, evita-o,
Sabendo que esse tal está pervertido, e peca, estando já em si mesmo condenado.
Tito 3:10,11

Fora deste casos, todo o juízo que é feito gratuitamente, condenando igrejas ou pastores, é obra de Satanás, o acusador, de onde procede toda a acusação.

Todo o que acusa alguém na praça publica se ele estar presente não passa de um covarde.

Todo o que expõe a vida do próximo com fotos e vídeos nas redes sociais ou do que se passa em igreja alheia, não passa de um imoral e de um difamador.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>